Microsoft oferece US$ 68,7 bilhões para comprar Activision Blizzard

A Microsoft quer adquirir a editora de mega games Activision Blizzard, que representaria a maior compra da história dos games.

A aquisição cobrirá grandes franquias de jogos dos estúdios Activision, Blizzard e King, incluindo Warcraft, Diablo, Overwatch, Call of Duty e Candy Crush. A compra é de US$ 95,00 por ação, em uma transação em dinheiro avaliada em US$ 68,7 bilhões, incluindo o caixa líquido da Activision Blizzard. Está sendo amplamente divulgado como o maior negócio desse tipo no setor de jogos.

Após a conclusão, o CEO da Activision Blizzard, Bobby Kotick, permanecerá, reportando-se ao CEO da Microsoft Gaming Phil Spencer.

Além das implicações potenciais de quebra de paradigmas de um proprietário de console comprando uma das maiores editoras do setor de jogos, talvez a coisa mais óbvia que poderia ser afetada por esse acordo seja o Games Pass – um serviço de propriedade da Microsoft que é basicamente Netflix para jogos, em que os usuários pagam uma assinatura mensal para jogar qualquer jogo no serviço.

Uma crítica que você pode fazer à mudança é que a lista de jogos não é exatamente exaustiva, mas provavelmente você poderia ter dito algo semelhante sobre a Netflix em seus primeiros dias de streaming. A Microsoft não foi tímida em revelar que bombear o Games Pass com o novo influxo de títulos da Activision Blizzard é exatamente o que tem em mente.

“A aquisição também reforça o portfólio de Game Pass da Microsoft com planos de lançar jogos da Activision Blizzard no Game Pass, que atingiu um novo marco de mais de 25 milhões de assinantes”, explicou o comunicado de imprensa. “Com quase 400 milhões de jogadores ativos mensais da Activision Blizzard em 190 países e três franquias de bilhões de dólares, esta aquisição fará do Game Pass uma das linhas de conteúdo de jogos mais atraentes e diversificadas do setor. Ao fechar, a Microsoft terá 30 estúdios internos de desenvolvimento de jogos, além de recursos adicionais de publicação e produção de e-sports.”

O acordo também traz muito peso para jogos móveis para o campo da Microsoft, mais obviamente com a inclusão de King. O que exatamente a empresa planeja fazer sobre isso não está claro na declaração vaga abaixo, mas claramente ela pretende fazer algo multiplataforma com os ativos.

“Mobile é o maior segmento em jogos, com quase 95% de todos os jogadores globalmente desfrutando de jogos no celular”, disse o anúncio. “Através de grandes equipes e ótima tecnologia, a Microsoft e a Activision Blizzard capacitarão os jogadores a aproveitar as franquias mais imersivas, como Halo e Warcraft, praticamente em qualquer lugar que quiserem. E com jogos como Candy Crush, o negócio móvel da Activision Blizzard representa uma presença e uma oportunidade significativas para a Microsoft neste segmento de rápido crescimento.”

Também tem havido muita especulação de que o acordo é alimentado pelas ambições da Microsoft no metaverso. Embora seja mencionado brevemente no lançamento, não há muito o que fazer em relação a exatamente como a compra permitirá esses planos de metaverso. Embora a Microsoft claramente queira entrar nessa área também, também é possível que esse acordo em particular seja principalmente uma jogada direta para uma fatia maior do setor de jogos, em vez de um movimento lateral para ajudá-lo a combater o Facebook e a Amazon no setor de tecnologia, mas é certamente sendo elogiado por muitos comentaristas como exatamente isso:

É claro que o metaverso ainda não foi exatamente definido, e a interação simulada em espaços virtuais já faz parte da indústria de jogos, com jogos de headset VR muito aqui, se não exatamente mainstream. Portanto, as linhas entre o que quer que seja o metaverso e o que o setor de jogos evolui podem ser borradas, para dizer o mínimo.

As plataformas de console – Xbox da Microsoft, Playstation da Sony e Nintendo – compraram gravadoras e desenvolvedores antes, é claro, mas a Activision Blizzard – uma entidade que já é um conglomerado das duas empresas titulares e King, a gigante de jogos para celular por trás do Candy Crush – representa um enorme quantidade de IP, desenvolvimento e poder de fogo de publicação agora sob o já enorme guarda-chuva da Microsoft.

Há alguma complicação da lei de concorrência em torno disso? Parece uma pergunta óbvia, pois presumivelmente seria possível tornar todo o portfólio de jogos Xbox ou PC exclusivo em algum momento. Embora o acordo tenha sido aprovado pelos conselhos da Microsoft e da Activision Blizzard, questões como essa provavelmente serão abordadas na revisão regulatória que ocorrerá antes do fechamento do acordo.

Gostou do conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Faça uma cotação direto com a Fábrica!

Nosso parque fabril conta com infraestrutura moderna e equipe altamente capacitada. Possuímos investimentos robustos na fabricação e evolução dos produtos buscando propor as melhores soluções para o seu negócio.