Setor de telecomunicações brasileiro – Fibra ótica oferece grandes oportunidades

As conexões de banda larga de f ibra ganharam participação de forma consistente nos últimos anos, com a participação do FTTH (Fibra ótica) crescendo de 18% das conexões de banda larga em 2018 para 51% hoje.
Esperamos ganhos de participação contínuos e vemos três caminhos de crescimento: i) penetração mais forte; migração de tecnologias legadas; e consolidação do mercado. Combinadas, essas oportunidades somam um
mercado potencial de 37 milhões de clientes de banda larga de fibra nos próximos cinco anos, a serem capturados por grandes empresas de telecomunicações e grandes ISPs (provedores de internet).

A fibra continuará ganhando participação de outras tecnologias.


As conexões FTTH são muito superiores às de cobre (xDSL) e melhores do que o cabo (HFC). As conexões de cobre caíram de +13 milhões em 2017 para 5 milhões hoje, e provavelmente serão totalmente substituídas por fibra em 2025.
Por sua vez, as conexões de cabo mal mudaram de posição nos últimos 3 anos, oscilando em torno de 9,5 milhões, mas este ano nós estamos vendo os primeiros sinais de quedas mais fortes. À medida que os clientes migram do
cobre e do cabo para a f ibra, vemos outros 9,7 milhões de assinantes à disposição.


A consolidação do mercado é uma grande oportunidade.


Embora o Brasil tenha aproximadamente 7 mil ISPs e eles controlem uma grande fatia do mercado, apenas alguns poucos são grandes o suficiente para enfrentar as grandes empresas de telecomunicações. 97% desses ISPs nem mesmo têm 10 mil clientes. E apenas 15 têm +100.000 clientes (9 têm +200.000). Grandes ISPs e grandes empresas de telecomunicações consolidarão o mercado por meio de fusões e aquisições, de parcerias ou de ganho participação orgânica.
Na verdade, esse fenômeno já está acontecendo, e todos os ISPs com <100 mil clientes são alvos de aquisição em potencial. Esses ISPs controlam 11,8 milhões de assinantes.

De acordo com a Anatel, o Brasil tem 70,6 milhões de residências e 38,3 milhões de conexões de banda larga fixa, levando a uma taxa de penetração de 54,3%

Aumento na penetração para adicionar 15,1 milhões de assinantes de Fibra ótica até 2025


A penetração no Brasil aumentou nos últimos anos e o crescimento se intensificou nos últimos meses. Estimamos que
deve chegar a 75% por domicílio em 2025 (ou 25% por habitante). Em 2030, pode atingir 85% de todos os domicílios (ou 28,3% por habitante), ou seja, crescendo ~40% nos próximos 4,5 anos e ~57% em 9,5 anos. Essa estimativa é um pouco mais otimista do que a média atual da OCDE e ref lete o fato de que os investimentos em banda larga estão se intensificando no país, tanto por grandes empresas de telecomunicações quanto por ISPs.
É interessante notar que o crescimento histórico da penetração do mercado de banda larga brasileiro excede nossas
estimativas para os próximos cinco anos. Em 2020, o mercado de banda larga cresceu sua penetração ~0,4% ao mês,
com o ritmo acelerando em 2021. Nos 5M21, a penetração cresceu em média ~0,6% ao mês.
De maio de 2021 a dezembro de 2025, estamos modelando para que a penetração aumente ~0,4% ao mês em média,
para 75,7%, em linha com o crescimento médio mensal observado em 2020, mas inferior ao crescimento mensal observado nos últimos meses. Entre 2025 e 2030, esperamos desaceleração, com crescimento adicional de penetração de 0,2% em média ao mês.

Fonte: Anatel e BTG Pactual

Gostou do conteúdo? Compartilhe em suas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on whatsapp

Faça uma cotação direto com a Fábrica!

Nosso parque fabril conta com infraestrutura moderna e equipe altamente capacitada. Possuímos investimentos robustos na fabricação e evolução dos produtos buscando propor as melhores soluções para o seu negócio.